segunda-feira, 28 de março de 2011

Dúvida

Eu o vi por entre as árvores. Ele me seguia com o olhar, e eu fugia com medo.
O desconhecido se funde com o inevitável, e eu tão cedo não enfrentaria o novo. Quando você acha em si mesmo o motivo da derrota, é melhor confiar em si mesmo, do que na opinião. Cansei de achar motivos para amá-lo, e cansei de achar motivos para amar o amor.
Pois eis que o vejo em todo lugar escuro. Cada palavra sua é verdadeira, porém sem intensidade. A dúvida as vezes me toma como rédeas sem parada, mas essa dúvida vem do coração e não da mente. Pois eu sei que o gelo em seus olhos é eterno, mas o calor nas suas mãos, ainda me consome por dentro.

Psicopata

Os olhos dilatados são o peso da raiva contida, as mãos em punho, o sorriso irônico, fazem dele um ser estranho e incorrigível, ele sabe por onde andar e sabe como se esconder.
Ri do impossível, chora pela alegria e mata por vitória.
Antigamente, ele caminhava por entre flores vermelhas, amarelas e brancas. O perfume das rosas, o vento assobiado pelas árvores era o motivo de pacificação. No final do caminho ela estava lá. Ela flutuava no ar, e seu vestido era branco, leve e ondulante, ele sabia que iria encontrá-la no final do sonho, mas tinha medo.
Quanto mais se aproximava, mais o medo o sufocava. De repente, a noite se fez obscura e imaginativa, e logo ele estava na frente dela.
Porém, sonhos são apenas o unico lugar, em que existe verdade. Pois o que ele é, é o que ele será até o fim.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Amor

Os olhares são intensos, as mãos se completam e a voz é clara.
Ele fecha os dedos e faz menção de quebrar a mesa, antes do impacto ela segura. Ela não acredita mais, ele mostra  a verdadeira crença. A raiva é grande, e toma conta dos dois corpos, mas a simples imaginação da perda, é suficiente para amenizar.
A estrada é longa, os buracos que os fazem cair são profundos. Mas a fortaleza dentro dos dois é tamanha, que um deles acaba estendendo a mão e salvando o que mais acredita. Os lábios juntos, são a prova de que o impossível é possível, os corações já cansados, não suportam mais dor. Mas e o que fazer se os dois corações são um só ?
A dor que um sente, o outro sente, e aquela palavra que está acima deste texto é a prova de que a perfeição não existe. 
Mas e quem disse que é necessário?


Samantha, S.B

Mágoa

Ela carrega toda mágoa e peso nas costas dias após dia. A tristeza em seu olhar é visível a cada noite sufocante, e seu esforço para entender e valorizar, já é em vão.
Sob o manto preto, se esconde dois olhos mais frios e escuros que toda a tristeza presenciou. Caminha o mais rápido que pode, foge, se esconde e novamente coloca a máscara.
Seu entendimento sobre os valores da vida é tão escasso, quanto a verdade em seu sorriso. Ela há de se esconder sobre o manto eterno... a que chamamos de remorso.

sábado, 19 de março de 2011

Alerta

Preocupe-se com a verdade por trás dos olhos. Certifique-se que a verdade no sorriso aberto, é o mesmo quando fechado. Quando erramos, e perdemos toda a parte mais feliz da vida, aprendemos e assim, construiremos uma nova parte, mais valorizada.
De tempos em tempos, surgem novos rostos, novos caminhos. Escolha o caminho mais incerto, e vença ele, como um herói. Não deixe de prestar atenção nas palavras alheias. Essas palavras são as mais úteis, Seja sincero no momento errado, e seja mentiroso na hora certa. A verdade e a mentira andam de mãos dadas, o tempo todo a nossa volta. Não se importe com o que pensam, e sim , com o que você pensa, para não se enganar também.
Ande com seus amigos, mas não a todo momento. Assim eles pensarão, que podem mudar algo em sua vida. Existe a grande diferença entre, fazer parte da nossa vida, e querer mudá-la. 
Não guarde rancor, e nunca deixe de perdoar. Mas escolha a dedo, as pessoas que você irá chamar de ''amigos''. Nunca se empolgue com uma nova amizade. Lembre-se que existe as amizades antigas, e a familia, que você tem a certeza exata, que não irá decepcioná-lo.
Não seja sempre bom. As pessoas boas, tendem a ser mais enganadas e passadas pra trás. Saiba que a bondade que é necessaria, é a ajuda ao próximo, com motivos verdadeiros e sofrimentos verdadeiros.
Antes de ajudar um ''amigo'', tente se lembrar se este também o ajudou na hora solicitada. Nunca seja frio no amor. No final, todos acabam caindo nesse poço, gigantesco e lindo.

sexta-feira, 18 de março de 2011


Esse vídeo, é da banda Épica. Trata-se de uma música sobre um padre que violentou uma criança, uma história verídica.

Chore Para a Lua

Siga seu senso comum, você não pode se esconder
Atrás de contos de fadas para sempre e sempre
Apenas revelando toda a verdade poderemos descobrir
A alma desta fortaleza doentia para sempre e sempre, para sempre e sempre

Mentes doutrinadas frequentemente contém pensamentos doentios
E cometem a maioria dos males contra os quais pregam

Não tente me convencer com mensagens de Deus
Vocês nos acusam dos pecados cometidos por vocês mesmos
É fácil condenar sem se olhar no espelho
Atrás dos bastidores é que está a realidade

O silêncio eterno clama por justiça
O perdão não está à venda e nem a vontade de esquecer

Siga seu senso comum, você não pode se esconder
Atrás de contos de fadas para sempre e sempre
Apenas revelando toda a verdade poderemos descobrir
A alma desta fortaleza doentia para sempre e sempre, para sempre e sempre

A virgindade foi roubada em tão tenra idade
E o exterminador perde sua imunidade
Abuso mórbido de poder no jardim do Éden
Aonde a maçã ganha uma face jovial

O silêncio eterno clama por justiça
O perdão não está à venda e nem a vontade de esquecer

Siga seu senso comum, você não pode se esconder
Atrás de contos de fadas para sempre e sempre
Apenas revelando toda a verdade poderemos descobrir
A alma desta fortaleza doentia para sempre e sempre, para sempre e sempre

O silêncio eterno clama por justiça
O perdão não está à venda e nem a vontade de esquecer

Você não pode continuar se escondendo
Atrás de velhos contos de fadas e continuar lavando suas mãos em inocência

Fracasso

A raiva é intensa e eterna. As gotas d’água são a contagem do que resta da empolgação, os olhos estão cansados e dependentes e a dor da alma é a mesma da dor do coração.
Sinto que o possível e o inevitável juntam-se novamente em sinal de desespero. Cada dia de gloria cada brilho intenso, são escorridos pelo ralo. Sei que sorrir já não é mais uma questão de espontaneidade, sorrir é uma forma de sustentar as aparências. Pois cada riso é a marcha fúnebre, cada alegria uma mentira, e cada pé arrastam-se para o preço do fracasso.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Recomeço

 O olhar é intacto e estático. Suas mãos são a prova do intocável, e suas pálpebras são o peso da verdade absoluta.
Ela caminhou por entre árvores escuras e obcecantes, tropeçou nos gravetos da memória e levantou-se com esforço em meio a dor e a solidão. O pavor descrito pela boca, é algo a considerar, pois contorce-se sob o medo do novo risco.
Ela corre por entre as árvores, e os sons distantes cercam-na como a punição. O erro irremediável, o sorriso obscuro na hora incerta, a ingratidão, são as consequências de um tempo estranho e sem vida.

sexta-feira, 11 de março de 2011

Dor

Se eu soubesse que a dor iria ser cortante e interminável, jamais ousaria ter falado. Você poderia ter me olhado nos olhos, sorrindo e dizendo: '' Quase como o que você sente por mim''. Mal sabes tu, que as mãos quentes que te tocarão serão minhas, e que o olhar penetrante e brilhante que tu mereces receber será meu, e que cada palavra não dita antes, se pronunciará no meu silêncio. Pois não poderás me ouvir agora. Ouvirás tua própria alma, e acima de tudo, teu próprio coração. Ouvirás ali, o que tu sempre quisestes ouvir. Mal sabes tu também, que o vento leva e trás, olhares e sentimentos, e que o meu sentimento foi levado, o mais gravemente possivel no ao teu coração.

Círculo

Eu criei meu próprio refúgio. Fiz um baralho de cartas a mão, fiz a própria mesma de madeira e em cima dela compus o meu jogo. Tudo foi feito por mim. E como sempre, não recebia nada em troca. Me espreguicei e fui sentir o ar gelado da manhã cortar o meu rosto. Sorri diante dessa mera dor. Cada centímetro de meu corpo, cada artéria do meu coração já sentia coisa pior.
Então ela apareceu em meio aquele vento turbulento. Seus cabelos eram como a névoa suspensa no ar, e seus olhos se confundiam com o sol tão escondido no céu. Ela balançava os braços ao lado do corpo devagar, e seus pés sempre se arrastavam ao se movimentar. Ela segurava a bolsa firme rente ao corpo e enquanto seus olhos se fechavam devido ao vento, abriam-se novamente , soltando assim,  uma lágrima cintilante.
Ela foi se aproximando mais, e eu me dirigi a porta, para espera-la.  Encostei a cabeça na parede e a observei trilhar o caminho íngreme até mim. Sempre seria assim. Para chegar até mim, só se seus olhos me olhassem com um brilho recém adquirido, só se seu coração finalmente cansado de esperar, visse e sentisse pelos olhos, o que ele mesmo não podia ter.
Então ela parou nos degraus da varanda, logo a minha frente, sorrindo. Diferente do que vira antes, ela parecia brilhar intensamente, e seu sorriso era como viajar por entre as nuvens. Ela era leve. Suas mãos logo soltaram a bolsa,  e ela já não parecia cansada. Eu retribuí o sorriso, e pensei: ‘’ Engano meu’’ Por que ela não haveria de se iluminar?
Os seus pés não se arrastavam mais, e eu tirei minha cabeça da parede. Ela logo veio saltitando até mim, e rindo, rindo...
Eu a puxei para junto de mim, e apertei-a contra mim. Imagine um lugar quente e seguro, imagine sentir-se completo e seguro... é exatamente isso. Eu já não estava também cansado e mirei seus olhos cheios de calor. Sua boca era só sorrisos e eu logo convenci a mim mesmo da felicidade mútua.
Mas é claro que o engano pessoal, é um dom que todos têm.
Pois ela subiu os degraus cansadamente, e me olhou com seus olhos sem vida. Jogou a bolsa na cadeira e disse:
- Mais problemas.
Sentou na cadeira mais próxima e falou, falou de tudo que a machucava. Eu sabia o que ela sentia, pois eu sentia também. Meras coincidências do amor que eu tão bem conhecia. E então ela falava dele, dizia coisas como se soubesse quão injusta era tratada. De como ele não via o seu coração. Ela dizia que cada artéria, e cada parte do seu corpo, conhecia a dor que ela sentia por ele , e que ele era um grande abominável por não olhar para ela.
E então eu pensei:
Que grande abominável ela é, por não olhar pra mim.