sexta-feira, 18 de março de 2011

Fracasso

A raiva é intensa e eterna. As gotas d’água são a contagem do que resta da empolgação, os olhos estão cansados e dependentes e a dor da alma é a mesma da dor do coração.
Sinto que o possível e o inevitável juntam-se novamente em sinal de desespero. Cada dia de gloria cada brilho intenso, são escorridos pelo ralo. Sei que sorrir já não é mais uma questão de espontaneidade, sorrir é uma forma de sustentar as aparências. Pois cada riso é a marcha fúnebre, cada alegria uma mentira, e cada pé arrastam-se para o preço do fracasso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário